Logo após o golpe militar de 31 de marco de 1964, a Cia Siderúrgica Belgo Mineira (CSBM) demitiu, de forma coercitiva, cerca de 74 operários acusados de serem agitadores, embora todos eles, contratados em regime da CLT, tivessem estabilidade de emprego. Este fato aconteceu na unidade da empresa localizada na cidade de João Monlevade.Conforme depoimentos encontrados nos processos do CONEDH esta demissão em massa foi o modo utilizado pela CSBM para se livrar dos metalúrgicos comprometidos com as causas do movimento operário, ou seja, dos trabalhadores sindicalizados estáveis. Na verdade, o objetivo final era conter o avanço do movimento sindical, cada vez mais forte, no interior da fábrica: greves já tinham ocorrido em anos anteriores. Os trabalhadores detidos no movimento eram levados à delegacia de Monlevade, onde eram submetidos a constrangimentos físicos e psicológicos, eles permaneciam presos entre 3 e 7 dias.

Submissões recentes