Em Belo Horizonte, no período estudado, os meios de informação massivos - impresso, radiofônico e televisivo - constituíam um conjunto que estava, em sua maioria, nas mãos da iniciativa privada, mas que era sustentado principalmente pela publicidade governamental. É preciso destacar a importância que, naquele período – 1964/1985 – os meios de comunicação de massa (veículos impressos, radiofônicos e televisivos) tinham para a informação aos cidadãos sobre os fatos e acontecimentos que apresentavam relevância e, muitas vezes, interferência significativa na sua vida cotidiana, mas que eram distanciados social e geograficamente do ambiente desta mesma vivência. Diferentemente do que acontece hoje, quando boa parte da sociedade se informa e se manifesta por meio das chamadas “redes sociais” surgidas a partir do desenvolvimento e da centralidade que o fenômeno da informação digital passou a ter no cotidiano da vida social. Uma das fontes para a caracterização deste conjunto foi o Catálogo dos Meios de Comunicação.

Submissões recentes