Ações de violação aos direitos à informação e à opinião começaram a aparecer antes de 1964 e, mesmo nessa época, profissionais da mídia buscaram “driblar” essa situação, construindo “alternativas” aos jornais existentes, criando, assim, uma nova concepção de imprensa, menos submetida aos interesses dos grupos políticos e econômicos. Para a Covemg, foi fundamental identificar a construção dessas alternativas como forma de resistência às ações de violação dos direitos à informação e à opinião - o que evidencia uma censura de natureza política, que ainda não estava configurada em leis e outros aparatos jurídico-legais, mas que já era exercida.

Dessa forma, a abordagem do tema buscou focar o modo como surgiram os jornais alternativos; que tipo de objetivo perseguia e que tipo de violações sofreram.

Imagem: Jornalista José Maria Rabêlo

Submissões recentes