Data da morte:23/03/1987

Local:Sítio José de Oliveira, Antônio Dias

No dia 23/03/1987, o lavrador Geraldo Damião dos Santos de 20 anos foi cruelmente assassinado. Ele morava com seu irmão Juarez de 12 anos, no sítio José de Oliveira, perto da Comunidade de Roseira, no município de Antônio Dias. Eles eram órfãos e procuravam cuidar da herança de seus pais – o pequeno sítio de um hectare onde residiam.

Suas terras estavam sendo disputadas por José Izídio Alves, conhecido grileiro da região. Ele ameaçou Geraldo de morte várias vezes e chegou a plantar eucalipto na propriedade dos órfãos. O grileiro há anos perseguiu a tia deles, Dona Olinda, que teve a cerca destruída e a plantação desfeita. Em 1986, o filho do grileiro, Antônio Izídio, cujo apelido era Toné, junto com dois capangas, espancaram os filhos de Dona Olinda, João Batista e José. Ambos ficaram gravemente feridos e tiveram que ser socorridos no hospital em Nova Era.

Foi também Toné quem assassinou Geraldo a tiros. Geraldo estava se deslocando para o trabalho na Cantina da Eletrovale quando foi surpreendido na estrada por Antônio Toné, na altura da comunidade do Piçarrão, município de Nova Era.

Após o assassinato, os moradores do local, em especial a família de Dona Olinda ficaram indignados e aterrorizados, pois José Izídio dissera que “depois de matar esse, pretendia matar todos dali.” Os agentes da CPT, padre Ernesto, padre Antônio e irmã Lila foram até a comunidade e procuraram o delegado de Nova Era para que fosse aberto um inquérito policial com o intuito de apurar a morte de Geraldo e punir os responsáveis.

O nome de Geraldo Damião dos Santos consta nas publicações “Camponeses mortos e desaparecidos: Excluídos da Justiça de Transição”, “Relatório final: Violações de Direitos no campo 1946 a 1988”, “Conflitos de terras no Brasil, 1987” e “Fetaemg 30 Anos de Luta: 1968-1998”.

Submissões recentes