Data da morte:19/07/1984

Local:Fazenda Galanto, comunidade de Rodeadouro – município de Rubelita

José Celestino, 67 anos, era proprietário de terreno comprado 17 anos antes da data da sua morte, onde morava juntamente com a família. O assassinato foi cometido pelo grileiro Esperidião Ferreira de Medeiros, em 19/07/1984. No dia do crime, Esperidião e seus filhos “abriram uma picada” (desmataram um trecho para abrir caminho) nas terras de Celestino que, juntamente com sua família, tentou impedir o serviço. Celestino foi atacado com foice e facadas e morreu no local. Uma de suas filhas foi ferida na perna e outra, que estava grávida, levou um coice. Já seu filho desmaiou ao ver o pai morto. Esperidião foi preso e autuado em flagrante, e o inquérito foi enviado à comarca de Salinas. Já seus filhos conseguiram fugir.

O nome de José Celestino consta nas publicações “Fetaemg 30 anos de luta: 1968 a 1998”, “Relatório final: Violações de Direitos no campo 1946 a 1988”, “Camponeses mortos e desaparecidos: Excluídos da Justiça de Transição” e “Assassinatos no campo crime e impunidade 1964-1986”

Submissões recentes